sábado, 3 de agosto de 2019

LAVA JATO - Rodonorte pode abalar estruturas políticas com delações

A CCR ameaça revelar todo esquema de pagamento de propina, que poderia chegar ao Tribunal  de Contas  


Um matéria da revista veja, revela que a CCR, empresa que é administradora da Rodonorte, pode mexer com as estrutura da Polícia do Paraná, ao revelar quais foram os beneficiários de um esquema de corrução, com pagamento de propina, que é investigado pela operação Lava Jato. Em nota, o editor Cláudio Osti, revelou que em abril deste ano, de 2019, a gigante holding de concessões do país (administra também a Rodovia Dutra) iniciou negociações com as forças-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba e São Paulo para revelar ilícitos que teria praticado. A delação foi sui-generis: a CCR pagou indenizações no valor total de R$ 71 milhões para que participassem (de forma combinada) do processo. Se a nota da revista Veja estiver correta, é a primeira vez que uma empresa enrolada com a Lava Jato estaria disposta a mencionar conselheiros – como assim são designados os que atuam nos tribunais de Contas. Como a delação abrange também o estado de São Paulo, é possível que os conselheiros em questão sejam apenas paulistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário