quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Duas mulheres foram presas suspeitas de tráfico de drogas em Ivaiporã

A equipe Rotam realizava um patrulhamento na Rua Gonçalves Dias na noite da última terça-feira (12) em Ivaiporã. Endereço esse citado em uma denúncias que haveria tráfico de drogas. A denúncia era que  duas mulheres realizavam a venda de entorpecentes e também preparavam drogas e celulares para que fossem jogados na cadeia pública de Ivaiporã, visto que as duas mulheres possuem os respectivos maridos presos.

Próximo ao local a equipe avistou um indivíduo juntamente com uma mulher saindo da residência da mesma e atravessando a rua em direção a residência da outra suspeita. A suspeita os aguardavam no portão quando foi dado voz de abordagem aos mesmos. 

 Uma das mulheres suspeita saiu correndo e adentrou a residência da outra, sendo contido no portão um indivíduo e a referida mulher. No momento da abordagem, foi visualizado pela equipe a mulher suspeita jogando um objeto próximo a uma casinha do cachorro que havia no local.

No momento em que era realizado a abordagem, uma pessoa saiu de dentro da casa e foi até o portão, e ao verificar a viatura retornou correndo para o interior da casa, sendo então atravessado a rua e adentrado o local.Os Pm´s realizaram a abordagem e tratava de uma adolescente de 12 anos, que se apresentou como filha da proprietária da casa.
A policia solicitou  que a proprietária saísse de dentro da casa, e questionado se havia algo de ilícito em sua residência, visto que a menina entrou correndo desesperada para dentro da casa, a mesma autorizou a equipe a realizar buscas pela residência. Diante a busca não localizado nada de ilícito no local, apenas o valor de r$ 400,00 sobre a estante da sala. Questionado a mesma, o porque entrou correndo em sua residência, não soube responder, apenas informou que a outra mulher era sua prima, e que não conheciam o indivíduo que estaria no portão da residência. 

Diante da situação, foi separado os envolvidos no fato, e questionado ao homem o que havia ido realizar na casa, este afirmou para a equipe que estaria indo buscar um celular e um carregador para que ele entregasse para outra pessoa, e esta pessoa jogasse na delegacia para os detentos, e que ganharia o valor de r$ 100,00 para fazer o serviço.

 Ao ser questionado novamente a proprietária da casa se havia algo de ilícito em sua residência, esta começou a se demonstrar muito nervosa dizendo que não havia nada de ilícito em sua casa. Ao ser verificado o que a mesma havia jogado no chão no início da abordagem em seu quintal, foi localizado próximo de uma casa de cachorro, um celular envolvido em papelão amarrado com barbantes (típico de celular que são arremessados para os detentos). Assim, foi adentrado o local, e ao ser verificado no quarto da mesma, sobre um Rack da TV, foi localizado a quantia de R$ 179,00 em notas trocadas e uma nota de 1 dólar Americano.
Foi encontrado também uma caixa de sapato na cor vermelha, e que em seu interior estava uma balança de precisão na cor branca, uma balança de precisão na cor prata, e mais uma balança de precisão na cor prata marca águia/urso. Ainda dentro dessa caixa, foi localizado 3 invólucros plásticos na cor branca, contendo substancia análoga a cocaína pesando aproximadamente 20 gramas, uma corrente de cor dourada com crucifixo e uma cartela de comprimidos contendo 18 comprimidos de Pramil. 
Sobre a cama do quarto a PM localizou um caderno na cor azul contendo diversas anotações referente a movimentação do trafico de drogas, inclusive com os nomes dos usuários anotados, e ainda um celular. Na cozinha da casa, dentro da geladeira na porta, foi localizado um involucro pequeno contendo substancia análoga a maconha, e dentro do Frízer da geladeira dentro de uma sacola, foi localizado um tijolo de maconha, que totalizados pesaram 193 gramas.
Ainda na cozinha, foi localizado um rolo de barbante, este idêntico ao utilizado para fazer a amarração do celular que seria arremessado na cadeia e que foi dispensado pela mesma na frente do seu quintal quando foi abordada. Ao ser questionada a respeito dos ilícitos localizados em sua residência, a mulher afirmou que ela e sua prima faziam a venda de entorpecentes, onde cada bucha de maconha era comercializada pelo valor de r$ 5,00, e que cada bucha de cocaína era vendida pelo valor de r$ 50,00, e que sua prima estaria em sua casa, para que as mesmas embalassem as drogas localizadas.

No momento que era realizado as buscas na referida casa, chegou até o local com um motocicleta Honda CG150. Um Moto Taxi que foi identificado e conhecido no meio policial de várias denúncias pela  prática de transporte de entorpecentes e que inclusive no caderno de anotação do tráfico de drogas encontrado na casa estava o nome do referido Moto Taxi. Ao ser abordado, nada de ilícito foi localizado, e que questionado o que havia ido fazer no local, afirmou apenas que havia ido entregar um carregador azul que era de propriedade da então detida dona da casa. A equipe policial  acionou o Conselho Tutelar, que ficaram sob responsabilidade da menor filha da mulher. Diante dos fatos, foi dado voz de prisão aos envolvidos, juntamente com objetos, dinheiro e entorpecentes foram conduzidos até a 54ª DRP de Ivaiporã para providencias cabíveis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário