quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Após morte, escolas e pais se preocupam com “brincadeira viral”

Uma “brincadeira” perigosa que viralizou em vídeos na internet tem preocupado a comunidade escolar. Apelidada de roleta-russa humana, quebra-coquinho ou brincadeira da rasteira, a prática consiste em duas pessoas darem uma rasteira em uma terceira, que cai de costas no chão e, com isso, pode machucar gravemente o cérebro ou a coluna cervical.
Nas redes sociais, há vários vídeos mostrando como é o “desafio”, inclusive com imagens de adolescentes uniformizados “brincando”. “Não é uma brincadeira, é uma tentativa de homicídio/suicídio”, alerta o cirurgião Rodrigo Caselli, do Centro de Trauma do Hospital Brasília.
 médico explica que tombos assim podem provocar traumatismos cranianos, lesões na coluna ou até, em casos mais graves, levar à morte. “É uma prática tão arriscada que uma morte durante uma “brincadeira” dessas não é um acidente, é um efeito pretendido”, afirma o médico, que ficou alarmado ao ver as imagens.
O “desafio do quebra-coquinho” tem sido o assunto mais abordado por pais e profissionais de educação. Em algumas escolas, a decisão foi falar abertamente sobre o tema para que crianças e adolescentes entendam os riscos envolvidos. No Colégio Marista João Paulo II, de Brasília, professores fizeram o alerta de sala em sala durante a manhã desta quarta-feira (12).

Fonte: Metrópoles
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário