sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

PRISÃO - Suspeito de matar bailarina em Mandaguari é preso em Apucarana




Uma operação, que teria começado no dia 27 de fevereiro, de 2020, culminou, na manhã de 28 de fevereiro, na prisão, em Apucarana, de um homem acusado de matar a bailarina Maria Gloria, de Mandaguari. Participaram da referida operação a equipe da Delegacia de Homicídios de Maringá, comando do Dr. Diego; delegado Dr. Zoroastro Neri do Prado Filho, de Mandaguari e também Dr. Marcus Felipe, de Apucarana, chefe da 17ª SDP - Subdivisão Policial, de Apucarana. O detido é Flávio Campana, o conhecido "Frajola", de 40 anos, que foi localizado na Avenida Curitiba, após várias buscas. A investigação conseguiu apontar o meliante como acusado,  através de exame de DNA, cujo detalhes ainda serão divulgados. O acusado nega a prática do crime. SOBRE O CRIME -Ganhou destaque nacional, a morte da bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, de 25 anos, que foi encontrada mora, no dia 25 de janeiro, de 2020, um domingo, na área rural de Mandaguari, no norte do Paraná, com sinais de violência sexual, de acordo com a Polícia Civil. Além de bailarina, ela era estudante universitária. O corpo da jovem foi localizado no começo da noite, perto de uma cachoeira e foi levado ao Instituto-Médico Legal (IML) de Maringá. Segundo o IML, Maria Glória foi morta por asfixia. O delegado Zoroastro Neri do Prado contou, após o crime, que a mãe de Maria Glória a levou até uma chácara que fica perto da cachoeira. A jovem ficou sozinha, sendo que sua genitora perdeu contato com ela e voltou com a família no domingo para procurá-la. Ainda de acordo com o delegado, a irmã encontrou o corpo da bailarina em uma trilha que fica a cerca de 30 metros da cachoeira.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário