quarta-feira, 24 de março de 2021

PLANTÃO SAÚDE - Dia 24 de março é o Dia Mundial da Tuberculose

  Dia 24 de março é o Dia Mundial da Tuberculose, da que foi escolhida pela OMS por corresponder à descoberta do bacilo causador da doença por Robert Koch, em 1882. Conceito: a tuberculose é uma doença infecciosa e transmissível que afeta prioritariamente os pulmões, embora possa acometer outros órgãos e/ou sistemas. A doença é causada pelo Mycobacterium tuberculosis ou bacilo de Koch. A forma pulmonar, além de ser mais frequente, é também a mais relevante para a saúde pública, pois é a principal responsável pela manutenção da cadeia de transmissão da doença. Transmissão: a tuberculose é uma doença de transmissão aérea e se instala a partir da inalação de aerossóis oriundos das vias aéreas, durante a fala, espirro ou tosse das pessoas com tuberculose ativa (pulmonar ou laríngea), que lançam no ar partículas em forma de aerossóis contendo bacilos. Calcula-se que, durante um ano, em uma comunidade, um indivíduo que tenha baciloscopia positiva pode infectar, em média, de 10 a 15 pessoas. Sintomas: o principal sintoma da tuberculose pulmonar é a tosse na forma seca ou produtiva. Por isso, recomenda-se que todo sintomático respiratório, que é a pessoa com tosse por três semanas ou mais, seja investigado para tuberculose. Há outros sinais e sintomas que podem estar presentes, como: Febre vespertina, sudorese noturna, emagrecimento, cansaço/fadiga. Diagnostico e tratamento: caso a pessoa apresente sintomas de tuberculose, é fundamental procurar a unidade de saúde mais próxima da residência para avaliação e realização de exames (amostras de escarro – baciloscopias ou Teste rápido Molecular de TB - TRM-TB, exames de imagem - Radiografia de tórax. Se o resultado for positivo para tuberculose, deve-se iniciar o tratamento o mais rápido possível e segui-lo até o final, para obtenção da cura! Dados epidemiológicos - Cerca de 10 milhões de pessoas adoecem por tuberculose no mundo, - Mais de um milhão de pessoas vão a óbito anualmente. - No Brasil foram diagnosticados mais de 70 mil casos novos em 2019 com incidência de 35,0/100 mil hab. - No Paraná observa-se que em 2020 houve uma redução de 5,8% no diagnóstico de casos novos de tuberculose em comparação com 2019. Foram 2220 casos novos que correspondem a incidência de 19,4/100 mil habitantes em 2020.   REGIÃO - Entre os 16 municípios pertencentes à 22ª RS de Ivaiporã, houve uma redução de 9% no número de casos novos de Tuberculose no ano de 2020, comparado à 2019. Esta redução está relacionada a diminuição da testagem (diagnóstico) da TB. Em 2020 dos 16 municipios pertencentes à 22ª RS, cinco (05) deles são municípios silenciosos, ou seja, não testaram nenhum sintomático respiratório para Tuberculose. “A pandemia da COVID-19 impactou a demanda de exames solicitados para diagnostico e irá impactar no controle da Tuberculose. Estudos demonstram que 12 meses de Pandemia eliminaram 12 anos no progresso do controle da TB”. Covid - Como principal impacto da pandemia de Covid-19 nas ações de controle da TB, destacase a redução de 40,1% no número de exames realizados para TB no estado no ano de 2020. “ A redução nos exames pode explicar a redução no número de casos novos e sugere que pessoas ainda podem estar infectadas e sem diagnóstico”, afirma a chefe da Divisão de Doenças Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis da Sesa, Mara Franzoloso. “Consequentemente, em isolamento domiciliar, pessoas sem diagnóstico podem estar expondo as pessoas de seu domicílio aos bacilos da tuberculose que são capazes de causar infecção latente e ativa; neste sentido, caso não sejam retomadas as buscas dos sintomáticos, poderemos ver nos próximos anos uma multiplicação exponencial de novos casos da Tuberculose, inclusive entre crianças e idosos”, ressaltou. Ação: A SESA alerta desde o início da pandemia para os profissionais de saúde que atuam na área sobre o diagnóstico diferencial entre a TB e a Covid-19, seguindo recomendação do Ministério da Saúde. Importante: Incluam a tuberculose como diagnostico diferencial da COVID-19. (Mais imagem no link abaixo)

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário